COVID-19 nos Estados Unidos

Pessoal, até agora não tinha vindo falar sobre essa pandemia sem precedentes que assombra o mundo nos últimos meses. O Falando de Orlando é para levar um pouquinho de magia para a vida de vocês, então quis deixar o assunto de fora do blog. Mas hoje resolvi falar sobre o assunto, porque notícias boas começam a chegar por aqui…

O presidente Donald Trump anunciou ontem – 16 de Abril – uma nova etapa na guerra contra o COVID-19: a reabertura do país, que será feita em fases. Graças a Deus e aos profissionais da área da saúde – que irão viver pra sempre no nosso coração e memórias – o pico da doença no país já ficou para trás, segundo Trump. Alguns estados ainda sofrem mais do que outros e os governadores terão liberdade para definirem os rumos da reabertura de acordo com a situação de cada região, claro que com muita cautela e responsabilidade. Os estados de Nova York e Nova Jersey, por exemplo, provavelmente serão dos últimos a retomarem suas atividades.

Trump destacou também os impactos na economia dos EUA, que até essa crise estava apresentando índices baixíssimos de desemprego e agora se depara com mais de 20 milhões de pessoas acionando uma espécie de “seguro desemprego” só nas últimas 4 semanas. Esse é um dos motivos, claro, da urgência para retomar a rotina americana.

O plano de reabertura dos EUA será dividido em 3 fases:

  • Fase 1: As escolas permanecem fechadas e todos os funcionários que podem continuar trabalhando remotamente, devem permanecer assim. Estabelecimentos amplos, incluindo alguns restaurantes e academias, podem operar sob protocolos rígidos de distanciamento social. Bares devem permanecer fechados. Viagens não-essenciais também devem ser evitadas, e as pessoas que fazem parte do grupo de risco devem permanecer isoladas. Não serão permitidas reuniões de grupos de mais de 10 pessoas.
    .
  • Fase 2 – somente para as regiões sem indícios de uma nova onda de casos da doença: Escolas podem reabrir e viagens não-essenciais podem ser retomadas, mais estabelecimentos poderão abrir suas portas, assim como bares, desde que limitem o número de pessoas. Devem ser evitadas aglomerações com mais de 50 pessoas. Quem puder trabalhar remotamente também deve continuar assim. O distanciamento social continua sendo importante.
    .
  • Fase 3: Pessoas que fazem parte do grupo de risco podem voltar a sair, mas ainda mantendo o distanciamento social. Pessoas fora do grupo de risco ainda devem evitar aglomerações, mas já podem voltar a seus locais de trabalho.

Em tempos tão difíceis, essa projeção nos enche de esperanças. Torcemos para que no Brasil as coisas melhorem também o quanto antes, e que a gente possa lembrar desse período como uma provação que nos fez mais fortes e unidos!

 

FOTO: Physicians Briefing – www.physiciansbriefing.com